jornal do mazza

Chofer de Praça




Zacarias (Mazzaropi) e a mulher vão à cidade para ajudar o filho que quer ser médico. O Jeca vai trabalhar como chofer de taxi.
1º rolo: Zacarias (Caría é seu apelido) e Augusta, pais caipiras de Raul, para ajudar o término dos estudos de medicina do filho, resolvem morar na cidade grande. (251,8 m)
(Sítio, casa de pau-a-pique, cachorro. Vilarejo, ônibus, motorista, padre. São Paulo, SP: vista geral, vistas parciais, Praça das Bandeiras, Teatro das Bandeiras, automóveis, rua residencial.)
2º rolo: Alojam-se precariamente em uma vila onde habitam a viúva Dona Rita e sua irmã Iolanda, esta visivelmente interessada por Raul. Caría logo arruma emprego como chofer de um carro caindo aos pedaços. (280,9 m)
(Vila com casas simples, criançada, charrete com cavalo – entregador de leite. Casa simples: sala. Quintal de casa, varal de roupas, cabra, patos, galinhas, coelho.)
3º rolo: Logo faz amizade com os alegres motoristas de um ponto de táxi mas apronta confusão com a primeira passageira. Bem como com a segunda: Caría é honesto mas ranzinza. (287,3 m)
(Automóvel e taxímetro antigos. Ruas de São Paulo, fachada da Faculdade de Medicina. Mazzaropi interpreta uma canção não-identificada com conjunto sertanejo não-identificado. Guarda civil. Bairro grãfino. Passageiros pitorescos.)
4º rolo: Enquanto as confusões se sucedem, Augusta critica o desleixo e os mimos de Raul. Iolanda, em particular, também o recrimina por querer passar-se como filho de rico. (264,7 m)
(Bairro grãfino, automóvel antigo, passageiro gorducho. Ruas centrais de São Paulo, automóveis, guarda de trânsito. Casa pobre: sala, vila de casas simples.)
5º rolo: Augusta desconta sua insatisfação em cima de Caría que, auxiliado por Dona Rita, acaba por provocar fofocas maledicentes por parte da vizinhança. Até a polícia é convocada para resolver o falso incidente que culmina em intensa briga de vizinhos. (273,9 m)
(Vila de casas simples. Casas pobres: salas, uma delas com máquina de costura. Brincadeira infantis. Radiopatrulha, “camburão”. Automóvel antigo.)
6º rolo: O dia-a-dia profissional reitera as ranzinices batalhadoras de Caría que, felizmente, consegue juntar um dinheirinho “extra” para sustentar Raul e para sonhar com um carro novo. (223,1 m)
(Automóvel e taxímetro antigos. Ruas de São Paulo. Delegacia, policiais. Passageiro pitoresco. Casa pobre: sala. Parque do Ibirapuera, lambretas.)
7º rolo: Raul, por seu lado, continua sua vida de falso “playboy”, menosprezando a singeleza de Iolanda. Esta, meio que para se vingar, combina o encontro de Caría com os pais da “noiva rica” de Raul, desmascarando-o (261,4 m)
(Parque do Ibirapuera, lambretas, automóveis. Agnaldo Rayol interpreta “Onde estará meu amor”. Casa classe média: sala, jardim. Bairro grãfino, mordomo.)
8º rolo: De fiasco em fiasco, Caría constrange a família rica. (281,2 m)
(Casa classe média: sala, sala de jantar. Lana Bittencourt interpreta “Se alguém telefonar”. Mordomo.)
9º rolo: Raul, no dia de sua formatura, não avisa os pais sobre a solenidade. Iolanda, porém, faz comunicado sobre ela. Eles se paramentam com a habilidade de Dona Rita nas costuras mas, sem convite, são impedidos de entrar no recinto. (274,3 m)
(Casa classe média: sala, pequeno incêndio. Vila de casas simples, baile popular com fogueira. Mazzaropi canta uma canção não-identificada, com pequeno conjunto musical. Automóvel antigo, motoristas. Passageiro pitoresco. Casa pobre: quarto, sala. Teatro Municipal: fachada e saguão. Automóvel recente.)
10º rolo: Raul os despista e eles, profundamente magoados, já em casa rememoram a vida de sacrifícios pela qual passaram. Criticam o filho ingrato, choram e o renegam com um lição de moral. Raul, ao acordar, percebe que foi abandonado. Arrependido, consegue alcançá-los antes da partida. Pede desculpas. Caría e Augusta partem. Iolanda, que estava ao fundo, abraça Raul. (237 m)
(Teatro Municipal: saguão e fachada. Casa pobre: sala, quarto. Vila de casas simples. Viaduto do Chá, Praça das Bandeiras. Ônibus.)