jornal do mazza

O Grande Xerife




O carteiro de uma cidadezinha do Oeste se envolve com uma quadrilha durante um assalto. O grupo mata o delegado e, por troça, nomeia o carteiro xerife. Mas este faz tantas trapalhadas que acaba desmascarando o chefe do bando e prendendo todos os malfeitores.
Mazzaropi é Inácio Pororoca, chefe do correio local. Viúvo, tem uma filha de nome Mariazinha.
Inácio é o morador mais antigo da cidadezinha Vila do Céu e conhece muito bem a vida de todos, principalmente a do prefeito e a do gerente do banco que são sempre muito cuidadosos com Inácio.
Um dia, chega na cidade o bandido João Bigode, disfarçado de padre, para acabar com a raça do xerife. Depois do assassinato, o bandido, por brincadeira, nomeia o carteiro Inácio como xerife. Logo em seguida, o prefeito o empossa oficialmente e deseja que João Bigode o mate para eliminar uma testemunha.
O novo xerife inicia uma perseguição a João Bigode e seus capangas. Inácio faz um acordo com o índio Tunic-Nico que fora preso pelo ex-xerife por ter passado a mão na cintura de uma dama na rua. Por idéia de Inácio, o índio se infiltra entre os capangas para descobrir os planos dos bandidos.
Ficam sabendo que eles pretendem assaltar a fazenda de João Bahia. Inácio recorre à população para ajudá-lo mas os homens se recusam a acompanhá-lo. Assim, com a ajuda de algumas mulheres, Inácio consegue prender João Bigode.
O bandido disfarçado de padre e com a colaboração de seu fiel capanga Júlio consegue escapar da prisão.
Os moradores ficam indignados com Inácio e quase o lincham. Inácio, então, é banido da cidade. E só é salvo quando um amigo descobre o disfarce de padre de João Bigode que é preso definitivamente.