jornal do mazza

Uma Pistola para Djeca




Gumercindo trabalha em uma fazenda e tem uma filha chamada Eulália.
Esta é seduzida por Luiz, filho do fazendeiro coronel Arnaldo, que a engravida.
Nove anos depois, a criança com o nome de Paulinho é alvo de fofocas dos colegas por não ter pai.
Gumercindo pressiona seu patrão, cel. Arnaldo, para que exija o casamento de Luiz com Eulália, afim de resolver o problema do neto. Mas o fazendeiro é um homem sem escrúpulos, ladrão de gado e expulsa Gumercindo de suas terras. Este, então, une-se a fazendeiros vizinhos para o ajuste de contas.
Luiz, prestes a casar-se com a filha do cel. Bezerra, é assassinado, recaindo as suspeitas sobre Eulália.
Mas o capataz do cel. Arnaldo, Juvenal, acaba indo ao tribunal e se entrega pelo assassinato, dizendo que fez pelo motivo do cel. ter negado a mão de sua filha Ângela, à qual havia pedido em casamento. (Tese de graduação “Vida e Morte do Jeca Tatu – um estudo sobre Mazzaropi” de Maria de Lourdes Vinhas Nilsson, Dalmo José de Aguiar e Wagner José Freitas de Oliveira. Orientadora: Luiza Irene Gozzo Galvão. Instituto de Ciências Humanas Universidade do Vale do Paraíba, 1996)