jornal do mazza

Matérias Históricas: “Revista do Rádio: Mazzaropi de casamento marcado” – 1957.




Você sabia que em 1957 Mazzaropi estava de casamento marcado com Celeneh Costa, artista que atuou com ele em “O Noivo da Girafa“? Confira essa história no artigo abaixo, distribuido pela “Revista do Rádio“ em 1957:

“Vai casar um dos mais conhecidos cômicos de São Paulo e que agora, graças ao cinema está tomando conta de todo o Brasil. Sim, Amácio Mazzaropi, ou melhor Mazzaropi, vai comparecer à Pretoria.

Sua noiva chama-se Celene Costa, é carioca e, também, artista de cinema. Concorreu ao título de “Miss Cinelândia”, em 1955, obtendo o terceiro lugar. Foi então que chamou a atenção dos estúdios cinematográficos e já participou de dois filmes. O primeiro foi “Metido à bacana”, onde fazia o segundo papel feminino. Depois tomou parte nas filmagens de “O noivo da girafa”, dirigido, por Vitor Lima, e tendo como principal interprete o cômico Mazzaropi.

Foi nesta ocasião que eles se conheceram. Do que parecia uma simples amizade, revelou-se um sentimento mais profundo e há dois meses os dois artistas resolveram comunicar aos seus familiares que estavam oficialmente noivos.

Celeneh, antes de entrar para o cinema, era estudante. Estava cursando o Atheneu São Luis e pretendia seguir a carreira de Medicina. Mas, chegou o cinema e depois Mazzaropi, e Celeneh resolveu desistir do colégio e também da carreira médica em benefício do cinema e de Mazzaropi. No momento os dois estão juntos, novamente, em outra película, pois estão filmando uma comédia chamada “Chico Fumaça”, que está sendo rodada nos estúdios da TV-Rio.

E por falar em TV, Mazzaropi que era o grande cartaz da TV-Tupi de São Paulo, voltou à paulicéia e à TV para se apresentar numa série de programas com artistas de cinema que a TV-Record está apresentando e no qual atua ao lado de Grande Otelo, Renata Fronzi, Fada Santoro, Zé Trindade e outros.

Aliás, Mazzaropi começou fazendo rádio, depois teatro e televisão e agora cinema. Antes do rádio, uma troupe que atuava no interior e, também, um teatro de emergência chamado “Pavilhão Mazzaropi”. Durante 7 anos êl^ teve um horário fixo na Rádio Tupi paulista, mas acha que atualmente é o cinema o que rende melhor financeiramente.

Quando perguntamos sôbre a data do casamento êles nos informaram que não estava marcada. É que êle quer ver se a convence a residir em São Paulo e ela procura fazê-lo ficar definitivamente no Rio. Por enquanto, Mazzaropi está vencendo, pois já conseguiu convencê-la a ficar uns tempos em São Paulo para ver se gosta, pois os seus negócios, inclusive imobiliários, não podem ser transferidos para o Rio. Para finalizar, podemos informar que Celeneh não pretende deixar o cinema por causa do casamento e que deixará a questão dos herdeiros para mais tarde.

O que é certo: êle e ela estão dispostos ao casamento. Têm planos formados para o futuro – e continuarão filmando juntos. Vale ainda dizer que, nestes flagrantes realizados nos intervalos das filmagens, não se pode constatar a irradiante beleza de Celeneh – o que faremos, em próxima reportagem, brevemente.”

Texto de Max Gold – Fotos de Hélio Brito